Organize-se: como pôr ordem no computador e nas fotografias

Todos já passamos pela experiência de acumular documentos e fotografias até encher a memória dos nossos dispositivos. Mas em período de isolamento social, uma excelente estratégia para dar alguma ordem aos seus ficheiros antigos pode ser fazer uma limpeza higiénica do que já não é importante.

Saiba que não está sozinho: é extremamente comum deixarmos acumular ficheiros porque temos outras tarefas mais importantes para lidar no momento.

Mas agora que estamos em período de quarentena e já viu todos os filmes e séries disponíveis e já esgotou as opções de livros nas suas estantes, porque não tirar uma manhã ou tarde produtivas a organizar os documentos que já não interessam?

 

Passar um dia da quarentena a organizar ficheiros

Se dá por si a guardar dezenas de fotografias daquela sessão fotográfica que fez há 6 meses atrás para o Instagram, ou até ficheiros word de projetos do primeiro ano da faculdade, provavelmente só de receber aquela notificação de “armazenamento cheio” sente logo uma sensação de ansiedade – mas nada faz para mudar isso.

O mais comum é remover a notificação para pensar nisso mais tarde, mas nunca realmente soluciona o problema. Saiba que está apenas a adiar um momento de extrema ansiedade e frustração mais adiante, quando já não tiver mais espaço no disco para criar novos projetos e documentos importantes.

Documentos: Apague os ficheiros que já não interessam

De forma a trazer alguma ordem à sua vida digital e fazer com que se sinta mais organizado para trabalhar, a primeira dica que lhe trazemos é que selecione os ficheiros do seu computador que já não têm grande utilidade para si no presente e no futuro.

Se estivermos a falar de documentos relacionados com a sua profissão ou área de estudo, sugerimos que opte por guardar documentos que sabe que contêm conteúdo relevante para a sua área – tanto no presente, como mais à frente.

Documentos Word de trabalhos realizados anteriormente (sendo que provavelmente possui também a versão pdf) ou usados para apresentações que já aconteceram há meses atrás, de nada lhe servem para agora, por isso não faz sentido mantê-los.

Claro que não recomendamos que se veja livre de todos os ficheiros duma pasta porque em algum momento podem-lhe fazer uma grande falta. Apenas sugerimos que escolha, racionalmente, aquilo que lhe vai ser útil e aquilo que já não precisa.

Apega-se facilmente? Use plataformas online de armazenamento

Se mesmo assim não se quiser desfazer completamente de todos estes ficheiros (que mesmo sendo inúteis, têm algum valor sentimental para si, por serem fruto do seu trabalho, etc), poderá sempre utilizar plataformas online de armazenamento. Para além disso, fazer um backup mensal ou anual dos seus dados também é fundamental.

Plataformas como a Dropbox, o Google Drive ou até o iCloud são excelentes soluções para guardar documentos menos importantes, para que tenha sempre aquela segurança de que, se em algum momento precisar de reaver esses ficheiros, eles estarão para sempre na nuvem.

Outra sugestão extremamente útil que lhe deixamos é optar por comprar equipamentos para armazenamento, tais como pens USB, discos externos (que possuem uma capacidade elevada de memória, muitas vezes superior a 1TB) ou discos SSD mais poderosos. Desta forma, poderá contar com uma ajuda extra para guardar os seus documentos.

Quem não acumula centenas de e-mails que atire a primeira pedra

Apesar de alguns críticos afirmarem que o e-mail já não é a melhor plataforma para comunicarmos uns com os outros, continua a ser das ferramentas preferenciais no meio profissional e é extremamente habitual deixarmos acumular e-mails antigos porque deixamos de os ver na primeira página.

Apesar da capacidade de armazenamento elevada de e-mails que algumas plataformas possuem, tais como o Gmail, ver constantemente as notificações de 698 e-mails por abrir, na homepage do seu smartphone, pode tornar-se num foco de ansiedade diário perfeitamente evitável.

Aconselhamos que reveja a sua caixa de correio e identifique, com a estrelinha (no caso do Gmail) ou com a bandeira (no caso do Outlook) os e-mails mais importantes, geralmente relativos a informações de trabalho, do banco ou dados pessoais e questões relacionadas com a privacidade. Assim, estará a assinalar os mais importantes e nunca os perderá.

Tudo o que for secundário, tais como e-mails de publicidade, spam e outros que apenas estejam a ocupar espaço, deve ser movido para o lixo e apagado de imediato.

Fotografias e vídeos são a principal razão para a pouca memória

Captar momentos com a câmara do telemóvel ou até com a câmara fotográfica é uma excelente forma de passar tempo de qualidade a fazer o que gosta e a sentir-se melhor consigo próprio. Porém, ao fim de algumas semanas, provavelmente notará que o seu armazenamento disponível desce consideravelmente.

As fotografias e os vídeos são muitas vezes responsáveis pela falta de memória. Isto acontece principalmente nos casos dos smartphones com possibilidade de captação e gravação de imagem em formato 4K, em que apesar de ter resultados finais incríveis para os seus projetos de edição, naturalmente esgotará a sua memória rapidamente.

Quando tentamos captar a melhor pose e expressão facial, tendemos por vezes a exagerar no número de shots tirados, mas deve fazer parte do processo escolher as que ficaram melhores e apagar definitivamente as restantes.

Outra sugestão que fazemos é, no caso do iPhone da Apple, remover a definição “Live”, que faz com que a câmara capte o movimento em cada fotografia, tornando-se numa fotografia dinâmica e, por isso, muito mais pesada!

O período de quarentena não tem que ser aborrecido: tire algum tempo do seu dia a rever ficheiros, documentos e até memórias antigas e trate de fazer uma limpeza àquilo que já não lhe traz nenhum proveito – de certeza que se irá sentir melhor quando acabar!

// RPT

DEIXE UMA RESPOSTA

Envie o seu comentário
Indique por favor o seu nome