O que é um processador? Para que serve?

O que é um processador? Para que serve?Um dos mais importantes componentes internos de um dispositivo computacional é o processador. O que é, exatamente, um processador? Qual é a sua função? É o que vamos descobrir neste artigo.

Todos os dispositivos de computação, desde brinquedos simples até grandes sistemas empresariais, têm um componente essencial: o processador. Esta componente é o cérebro de um computador.

 

O que é um processador (CPU)?

CPU é uma sigla que significa Central Processing Unit e é conhecida simplesmente como processador. Como o próprio nome indica, é a unidade central de processamento de um dispositivo eletrónico e a sua velocidade de processamento é medida em GHz, ou seja, na quantidade de informação que consegue receber e transmitir num único segundo.

Se já comprou algum computador ou telemóvel, certamente deparou-se com preços totalmente díspares para dispositivos que externamente são muito semelhantes, se não mesmo iguais. O processador é responsável por boa parte dessa diferença em preço, sendo este o componente interno mais influente na gama em que o computador se insere.

Qual é a função de um processador?

O CPU trabalha em colaboração constante com todas as restantes partes do computador, nomeadamente a RAM (Random Access Memory), a qual é responsável por armazenar temporariamente a informação em tempo real do computador.

O que isto significa na prática é que seja escrever um documento Word, seja ver um vídeo de Youtube, seja jogar um jogo, tudo o que faz no seu dispositivo é uma ordem que dá ao sistema do seu computador. O dispositivo recebe essa informação, transmite-a ao processador, o qual a interpreta e processa, e a envia de novo para ser executada.

Quanto melhor forem os componentes, mais rapidamente conseguirá abrir qualquer programa no computador e maior fluidez terá no seu uso mais intenso.

Fisicamente, um CPU é um pequeno retângulo do qual sobressaem pinos metálicos, responsáveis pela receção e envio de informação para os outros componentes. Dentro do processador encontra-se um bloco de silício, no qual se encontram milhões de circuitos de transístor.

Como funciona um processador?

O processador divide-se em duas partes principais: a unidade de controlo (CU) e a unidade de lógica e aritmética (ALU). A unidade de controlo é responsável pela coordenação das diferentes partes do processador, enquanto a unidade de lógica e aritmética faz cálculos complexos, compara valores, entre outras tarefas matemáticas.

Para que todas as partes do computador estejam sincronizadas com o processador, existe um relógio interno, que cria milhões de ciclos por segundo. Por exemplo, um processador com 3,1 GHz cria 3,1 milhões de ciclos. A cada um destes ciclos o processador computa a quantidade de informação a que corresponde a sua capacidade, seja 32 ou 64 bits.

32 bits versus 64 bits

A tecnologia para a existência de processadores com 64 bits já existe há muito, mas só na última década se tornou o padrão adotado pela maior parte dos sistemas operativos e um crescente número de programas.

A diferença entre 32 e 64 bits é intuitiva e assenta na quantidade de informação que é possível processar em cada segundo para a mesma frequência do relógio interno. Isto significa que o processador tem a capacidade de comunicar mais informação com as restantes partes do computador, permitindo tirar proveito de uma RAM com mais espaço, uma placa gráfica mais poderosa, entre outras tecnologias, que poderiam estar disponíveis, mas que nada seriam sem um processador potente o suficiente para as colocar em uso.

 

AMD versus Intel

A questão dos processadores é particularmente importante na altura de ponderar a compra de um computador, seja desktop ou portátil. Só há dois fabricantes de processadores para computador no mercado atualmente. Um deles é a Intel, o outro é a AMD.

Da mesma forma que se debate a escolha entre Android ou iOS, ou Star Trek ou Star Wars, Benfica ou Porto, a rivalidade AMD versus Intel é um dos maiores debates para os entusiastas de PC.

No que se refere ao desempenho, as diferenças entre Intel e AMD são mínimas atualmente. É importante realçar que as duas fabricantes usam arquiteturas de construção e processamento diferente. Assim sendo, é de esperar que o desempenho em ambas as marcas seja diferente, apresentando prós e contras dos dois lados.

O que é um processador? Para que serve?No geral, as duas empresas produzem processadores diferentes em quase todas as frentes — preço, energia e desempenho. Os chips Intel tendem a oferecer melhor desempenho por núcleo, mas a AMD compensa com mais núcleos.

A maioria dos processadores não inclui gráficos integrados. Aqueles que o fazem são chamados de unidades de processamento acelerado, ou APUs. Esses chips combinam os núcleos da CPU com os núcleos gráficos na mesma matriz — neste caso, os processadores AMD têm, regra geral, melhores recursos gráficos do que os núcleos de gráficos da Intel, mas um processamento geral mais fraco. Porém, não deve esperar excelentes desempenhos gráficos de um processador, se o quiser deve considerar uma boa placa gráfica.

Para resumir, nesta batalha de AMD versus Intel não há vencedores, tudo depende das suas expectativas e do uso que pretende dar ao seu computador. Se o seu objetivo é apenas e só ter um equipamento para jogos é provável que a Intel ainda tenha a vantagem.

Contudo, se quiser editar vídeos, fotos, fazer streaming, e outro tipo de tarefas — onde jogar também pode estar incluído —, então a AMD pode ser a escolha ideal para si.

// RPT

DEIXE UMA RESPOSTA

Envie o seu comentário
Indique por favor o seu nome