Descodificar os processadores Intel Core: i3, i5, i7 e i9

Descodificar os processadores Intel Core: i3, i5, i7 e i9

Na altura de adquirir um PC novo, um dos grandes elementos que influenciam a decisão é o processador. Entre os Intel Core há várias séries por onde escolher (i3, i5, i7 e i9) e gerações dentro das mesmas. Para garantir que escolhe o melhor para si, vamos descodificar alguns termos e perceber as diferenças entre as várias opções.

O mundo da tecnologia é interessante e dinâmico. Assim, é mais do que natural que nos possamos perder no meio de tantas opções e novidades. Quando o assunto é a escolha de processadores — também denominados como CPU, Central processing unit — não faltam escolhas.

Na altura de adquirir um novo computador terá duas opções à sua escolha no que se refere a processadores: AMD ou Intel. No caso de optar por um processador Intel, deve ter em conta que existem quatro categorias principais: Core i3, i5, i7 e i9. Cada série tem as suas especificações, que vão além do facto de umas serem mais atuais que outras.

Poderíamos dizer que um Intel Core i7 é melhor que um Core i5, que por sua vez é melhor que um Core i3. O problema reside nas nuances existentes em cada uma dessas séries, o que pode até contrariar esta lógica. Assim, é importante conhecer algumas definições simples que podem fazer diferença na altura de escolher qual o processador pelo qual deve optar.

 

Termos que deve conhecer

Antes de escolher um processador existem alguns termos que deverá ter em atenção. O primeiro é a velocidade do clock. Isso é medido em gigahertz (GHz, um mil milhão de hertz) e informa quantas operações um processador pode fazer a cada segundo. Quanto maior o número, mais rápida será a velocidade de processamento.

O segundo termo é o número de núcleos (cores). Este número varia muito, podendo ir dos quatro até aos 16 núcleos (sempre aos pares) de alguns modelos mais recentes. Quantos mais núcleos melhor: é o que permite ao computador executar várias tarefas ao mesmo tempo sem perder rendimento.

Relacionado com o número de núcleos está o termo thread, (em inglês significa “fio” ou “linha”), o qual no contexto dos processadores representa, de forma simplificada, uma linha de execução, com instruções encadeadas que são desempenhadas uma de cada vez.

Quando se fala que um determinado processador é dual-core, quad-core, hexa-core, e assim por diante, significa que o CPU tem diversos núcleos independentes que funcionam como processadores individuais. Cada um desses corresponde a uma thread ou linha de execução.

No entanto, um processador pode ter um número diferente de threads e núcleos, por exemplo, pode ter 4 núcleos e 8 threads, ou 6 núcleos e 12 threads, e assim por diante. Isto acontece porque existe uma tecnologia que permite que um núcleo tenha mais de uma linha de execução, a chamada SMT (Smiultaneous Multithreading, em inglês), também conhecido como Hyper Threading (nomenclatura utilizada pela Intel).

O último termo é a cache, que nada mais é do que a memória temporária do processador. A cache é onde o processador armazena informação importante para a processamento, o que permite executar uma tarefa mais rapidamente.

Neste aspeto não existem segredos: quanto maior a cache, mais informações o processador pode guardar num “local” de fácil acesso e processar de forma mais rápida.

 

A geração dos modelos Intel

Identificar a geração do processador é fundamental, até porque, a título de exemplo, um i3 da 10ª geração pode ser melhor que um i5 da 7ª geração, entre outras comparações. Desde 2010 que a Intel tem lançado sucessivas gerações. Até há bem pouco tempo a 10ª era a mais recente, mas foi lançada a 11ª este ano.

Então, como saber a qual família pertence um determinado modelo? Pelo primeiro dos quatro dígitos que indicam o nome do modelo. Por exemplo, um Core i7-10700 indica que o processador pertence à décima geração e assim por diante. Já um i5-9300 pertence à 9ª geração. Finalmente, os demais números servem para indicar o modelo do processador.

 

As letras no fim

Para ajudar na identificação de algumas características, a Intel introduziu uma combinação de letras que são colocadas ao fim da numeração de modelo dos seus processadores. As principais são U, Y, T, Q, H, F, K e X. Vejamos o que cada uma significa.

U de Ultra Low Power: Especificação exclusiva para processadores de notebooks, indica que o componente consome menos energia que os demais e proporciona maior duração da bateria.

Y de Low Power: Característica de processadores mais antigos que equipavam computadores e dispositivos móveis. Também indica baixo consumo de energia.

T de Power Optimized: Indica alta eficiência energética, ou seja, processadores mais económicos.

Q de Quad-Core: Utilizado somente em modelos que possuem quatro núcleos físicos de processamento.

H de High-Performance Graphics: Indicam processadores com melhores chip gráficos integrados.

S de Performance-optimized lifestyle: modelos otimizados para terem maior performance.

F de Less: São processadores que não têm chip gráfico.

X de Extreme: Contam com mais recursos para oferecer desempenho máximo.

K de Unlocked: Indica processadores passíveis de overclock.

 

Intel Core i3, i5, i7 e i9: as diferenças entre eles

Chegamos finalmente ao ponto principal: a diferença entre as séries da Intel. Tal como referido anteriormente, quanto maior o número, maior será o rendimento do processador. Dito isto, agora que tem todos os conhecimentos necessários para comparar os diversos modelos, não deixe de atentar em todas as características, não apenas a série, para que escolha efetivamente a opção que mais lhe convém.

Intel Core i3

É a serie mais baixa da Intel Core, mas, apesar disso, é um processador muito bom. Servem essencialmente para as tarefas do dia a dia, tal como navegar na Internet, e-mail, assistir a um filme, programas leves, entre outras tarefas.

Têm o melhor custo-benefício de todos os processadores desta família e são também bastante económicos no consumo de energia. Num dispositivo com uma boa placa gráfica, um i3 pode ser também uma opção para gaming.

Intel Core i5

Para quem precisa de um computador mais exigente, com jogos e programas mais pesados, a categoria dos i5 é uma boa alternativa. Isso porque apesar de não serem de altíssimo desempenho, são criados para executar mais do que as tarefas do dia a dia.

Os processadores Core i5 possuem mais núcleos que um i3, por executam com mais qualidade alguns jogos e programas. Além disso, também têm a tecnologia do Turbo Boost, que permite aumentar a frequência das operações dos núcleos.

Intel Core i7

Pensado para pessoas que querem um maior desempenho, o Core i7 é uma excelente escolha. Basicamente, atende a dois requisitos: execuções comuns com alto desempenho e programas gráficos mais elaborados.

Os i7 são ideais para quem precisa de editar vídeos em alta definição, criar gráficos em três dimensões ou usar programas de design como o AutoCad, Illustrator e Photoshop. E tudo pode ser feito ao mesmo tempo. São também excelentes para jogos mais pesados.

Para auxiliar no desempenho, esta série também possui as tecnologias de Turbo Boost e Hyper Threading. Por esse motivo, processam programas com um desempenho melhor que as séries anteriores.

Intel Core i9

Por fim, no topo de desempenho e qualidade nas execuções está o Core i9, pensado, principalmente, para quem pretende um desempenho extremamente alto. Ou seja, tudo o que um computador pode fazer, desde jogos a edição de filmes.

O Core i9 é atualmente o topo de gama da Intel. com potencialidade de elevar a sua criatividade para o próximo nível.

 

Os Core são uma família de processadores da marca Intel, assumidamente a mais popular, daí termos escolhido elaborar um artigo em volta da mesma. No entanto, não estranhe que encontrar outros nomes como Celerom, Pentium (estes dois são gamas de entrada), Atom (processadores desenvolvidos para portáteis de mobilidade) ou Xeon (super processadores desenvolvidos essencialmente para servidores ou computadores de elevadíssimo rendimento) — são outras famílias de processadores da mesma marca.

Agora que conhece melhor os processadores da Intel, já está apto a escolher o melhor para o seu uso. É importante destacar que cada modelo de processador pode vir com um atrativo a mais, um recurso que os outros não têm, de forma a dar mais eficiência.

// RPT

DEIXE UMA RESPOSTA

Envie o seu comentário
Indique por favor o seu nome