Como será a cozinha de 2030? Um olhar para o futuro

Comandos de voz, eletrodomésticos que comunicam consigo e entre si, design integrado e moderno: a cozinha de 2030 será mais funcional e irá facilitar o seu trabalho nesta divisão.

Atualmente, os eletrodomésticos para a cozinha já registaram uma evolução surpreendente. Há robôs de cozinha controlados através de aplicações de smartphone, frigoríficos com ecrãs inteligentes e assistentes de voz para nos ajudar em quase tudo.

Tudo isso é apenas a ponta do iceberg. Até 2030, veremos as nossas cozinhas a transformarem-se no “coração” da casa, tornando-se um impressionante pólo de inovação doméstica. Continue a ler e veja por si mesmo o que tornar-se-á realidade dentro de pouco tempo.

 

Eletrodomésticos que comunicam consigo …

Desde os primeiros filmes de ficção científica que sonhamos com gadgets que falam connosco. Esse sonho está prestes a tornar-se realidade. Até 2030 a tecnologia terá evoluído ao ponto de todos os eletrodomésticos de cozinha serem capazes de reconhecimento de voz.

Poderá perguntar “O que tenho no frigorífico?” e será o próprio frigorífico a responder-lhe. Está com pouco leite? O frigorífico solicitará automaticamente mais e poderá receber a encomenda em sua casa pouco depois.

Quem diz o frigorífico diz o forno, o microondas, a máquina de lavar loiça e a da roupa, bem como vários eletrodomésticos menores.

Com certeza irá apreciar o tempo que irá poupar com uma cozinha mais inteligente e o de cozinhar de forma mais rápida, limpa e menos trabalhosa.

 

… e entre eles

Da mesma forma que comunicam consigo, os seus eletrodomésticos também vão comunicar entre eles. Escolha uma receita no frigorífico e este aparelho irá informar o forno para se pré-aquecer na temperatura certa e para se desligar quando a comida estiver pronta, para que não tenha de se preocupar com queimar o jantar.

Quando terminar, a máquina de lavar louça escolherá a sua própria configuração de lavagem com base nos utensílios que foram usados.

 

Cozinhar sem usar as mãos

Quanto mais inteligente a tecnologia, menos trabalho para si. Alguns fornos inteligentes já possuem balanças, câmaras e termómetros embutidos para detetar o que está a cozinhar e, em seguida, programam o tempo e a temperatura certos.

Melhor do que isso, em 2030 o utilizador será avisado quando tudo estiver pronto através de uma notificação para o seu smartphone — ou a tecnologia de comunicação equivalente na altura — para que nem precise de estar na divisão para cozinhar.

Eletrodomésticos integrados no espaço da cozinha

Está preocupado com o aspeto que os eletrodomésticos do futuro vão ter? Pela forma como o design de interiores se tem desenvolvido, e considerando a preocupação dos fabricantes dos equipamentos, tudo indica que as cozinhas do futuro serão totalmente integradas.

Esqueça a necessidade de colocar uma máquina de lavar num espaço por debaixo do balcão e os armários de canto embaraçosos. Os seus aparelhos farão parte integrante e muito natural da divisão e tudo na sua cozinha funcionará de forma conveniente e elegante em volta do utilizador.

Pense em objetos que estão “escondidos” enquanto não são usados e que “saem dos seus esconderijos” quando necessários, por forma a não ocupar espaço que pode ser usado para preparação dos alimentos. Espaços de uso múltiplo também são uma forte probabilidade.

O controlo por gestos também terá evoluído: na cozinha de 2030, é um movimento de pulso que decide quando a torneira abre e a que temperatura estará a água.

 

Amostras do futuro, no presente

Atualmente, já existem equipamentos com funcionalidades cada vez mais inteligentes com o propósito de facilitar a vida do dono.

Por exemplo, não precisa de esperar pela próxima década para ter fornos que executam autolimpeza ou que permitem assar doces e assados ao mesmo tempo. Já temos direito a algumas amostras ao que será o futuro da cozinha, mas ainda muito está para vir.

// RPT

DEIXE UMA RESPOSTA

Envie o seu comentário
Indique por favor o seu nome