Como cozinhar a vapor: dicas e receitas

Morphy Richards

Máquina de cozinhar a vapor Morphy Richards

Cozinhar a vapor tem vindo a ganhar adeptos. O facto de ser um método alternativo de confecionar os alimentos de forma saudável, económica e muito prática ajuda. Nós dizemos-lhe como o fazer.

Cozinhar pode ser um verdadeiro gosto, mas também pode tornar-se uma tarefa cansativa devido à repetição. Gostamos de variar na nossa alimentação e dar ao nosso palato experiências novas de vez em quando — faltam-nos as ideias. Mesmo o ato de cozinhar pode tornar-se repetitivo e, por isso, aborrecido.

Tem vontade de fazer algo diferente? Quer evitar o azeite, os óleos e o refogado? Sabia que pode cozinhar grande parte da comida sem que esta entre em contacto com água? Essa é precisamente a ideia de cozinhar a vapor. Para quem anseia por algo diferente e ao mesmo tempo saudável e muito prático, não há melhor solução.

Cozinhar a vapor é um procedimento que consiste em confecionar os alimentos através do calor gerado pelo vapor de água. Entre os benefícios da utilização deste método estão a manutenção da qualidade nutricional, visual e gustativa dos ingredientes, a poupança da água utilizada para cozinhar e o facto de não ser necessário adicionar óleo — o que é perfeito para quem deseja alternativas saudáveis.

Para os principiantes deste estilo culinário, deixamos-lhe algumas dicas que pode seguir para se iniciar nesta prática.

 

As dicas

Uma das grandes vantagens de cozer a vapor é que pode cozinhar vários tipos de alimentos ao mesmo tempo. Deve, no entanto, agrupar aqueles que tenham texturas semelhantes.

O sal remove a qualidade dos alimentos durante a cozedura e só deve ser adicionado mais tarde. A alternativa é adicionar especiarias ou ervas à água para melhorar o sabor dos alimentos.

Se vai utilizar uma panela para cozinhar a vapor, antes de colocar a comida dentro verifique se é profunda o suficiente para colocar o acessório que impede que a água chegue aos ingredientes. Também é essencial que a água esteja quente, mas não a ferver. Já agora, fique a saber que em vez de água pode usar sumo de limão, leite ou até vinho.

Tenha cuidado ao remover a tampa da panela: o vapor está muito quente e pode queimar. Retire a tampa com a ajuda de algo que proteja a sua mão e o seu braço, e desligue o fogo antes de verificar se a comida está pronta. Ter por perto uma chaleira ou um jarro elétrico com água a ferver para adicionar à pena se necessário pode revelar-se muito útil.

Além das técnicas já mencionadas, também pode ser usada o papillote. É um método de cozedura em que o alimento é colocado numa bolsa ou num pacote dobrado e depois cozido. Para o envolvimento é, tipicamente, usado o papel vegetal, mas a folha de alumínio é um bom substituto. É adicionado um líquido para criar vapor e o preparado é introduzido no forno.

Não se esqueça de ter em consideração o tempo correto de cozedura de cada alimento, para que fique no ponto! Por exemplo, 8 minutos são o suficiente para brócolos, couve-flor, pontas de espargo e feijão-verde. 10 minutos são o ideal para as couves-de-bruxelas, cenouras e tomate. As ervilhas e os espinafres só precisam de cerca de 2 minutos, os cogumelos e a abóbora de 5. Já as batatas precisam de 12 minutos e um peixe inteiro, que pese até 1KG, entre 12 a 15 minutos.

Se não lhe desagrada a ideia de utilizar truques orientais, pode introduzir um cesto de bambu num wok. Basta adicionar água suficiente para tapar o fundo do wok e deixar ferver. De seguida, empilhe os cestos de bambu, distribuindo os alimentos de forma a que os mais firmes fiquem na base e os mais delicados por cima. Tape o wok e deixe a magia acontecer.

 

Máquinas de cozinhar a vapor: a alternativa mais fácil

As dicas que lhe demos até agora — humildade à parte — são boas, mas a melhor dica que lhe podemos dar é a de que deve utilizar uma máquina de cozinhar a vapor. Este eletrodoméstico simplifica todo o processo. Consoante o modelo, tem vários compartimentos para colocar diversos alimentos e confecioná-los de uma vez só.

O facto de poder confecionar tudo num único equipamento facilita o processo de cozinhar e de arrumar, já que não tem diversas panelas com que se ocupar. Os recipientes dos alimentos são laváveis na máquina de lavar loiça, para tornar a máquina ainda mais fácil de utilizar.

 

Receitas

Aqui ficam duas receitas muito saborosas, para desfrutar de todas as vantagens de cozinhar a vapor de forma rápida e prática.

Peito de frango cozido no vapor com legumes

Tempere a água com ervas ou pimenta e deixe aquecer por alguns minutos. Corte o frango em pedaços e adicione fatias de limão e azeitonas. Coloque a carne num dos compartimentos da máquina de cozer e os legumes noutro.

Quando a água estiver a ferver, cubra e espere até que os ingredientes fiquem macios e prontos para servir — na dúvida, pode consultar os tempos de cozedura já referidos. Cerca de 25 minutos deverá ser o suficiente até que tudo esteja pronto.

Filetes de peixe no vapor com legumes salteados e pesto

Comece por temperar os filetes de peixe com sal, pimenta, coentro em pó, uma pitada de azeite e suco de limão. Prepare os legumes, lave bem uma abóbora e corte-a em pequenos pedaços. Descasque uma batata e faça o mesmo. Descasque, também, a cebola e corte em meia luas não muito finas.

Se estiver a utilizar uma panela, aqueça-a com um pouco de azeite, acrescente os legumes, tempere-os com sal e deixe refogar. Pode fazer o mesmo num dos compartimentos da máquina de cozer a vapor.

Quanto ao peixe, embrulhe os filetes com papel vegetal ou papel de alumínio. Coloque-os num recipiente diferente dos legumes, cubra e deixe ferver cerca de 10 minutos ou até que os filetes estejam cozidos.

Quando os legumes estiverem quase cozidos, adicione o pesto e deixe-os terminar de cozinhar. Depois é só servir.

// RPT

DEIXE UMA RESPOSTA

Envie o seu comentário
Indique por favor o seu nome