10ª geração de processadores Intel: desempenho incrível

Depois de um 2019 marcado pela expectativa, a Intel finalmente lançou os seus processadores de 10ª geração. A evolução para uma nova arquitetura e um novo processo de fabricação resultaram num desempenho bem superior comparativamente a outras gerações anteriores.

É um salto tecnológico esperado, mas com resultados impressionantes. A 10ª geração dos processadores Intel promete revolucionar a performance dos computadores. Aliado a um melhor desempenho, gráfico, há novas características, como o suporte ao Wi-Fi 6 e padrão Thunderbolt 3.0, bem como inteligência artificial.

Esta geração divide-se em 2 linhas: de um lado os modelos Ice Lake e, do outro, os Comet Lake. Esta distinção deve-se a diferentes abordagens: os Ice Lake vão estrear um novo processo de fabricação com litografia de 10 nanómetros e estarão mais direcionados à inteligência artificial e a um maior desempenho gráfico. Já os Comet Lake vão continuar a usar a litografia de 14 nanómetros, com o objetivo de criar processadores de alta performance e computação intensiva.

Qual é a importância do peso da evolução da nanotecnologia? No caso de um processador, a nanotecnologia possibilita que sejam colocados muito mais transístores num menor espaço, obtendo assim maior performance, sem aumentar o consumo de energia ou o aquecimento do componente.

Assim sendo, a redução do processador Ice Lake para 10 nanómetros representa uma evolução significativa, até porque quanto menor as dimensões, menor será a distância de circuito que os dados irão percorrer e, por consequência, maior a velocidade de processamento.

Ainda em relação aos processadores, a necessidade de duas nomenclaturas diferentes não é por acaso: cada uma corresponde a produtos distintos.

 

Um processador, duas linhas

Linha Ice Lake

A linha Ice Lake terá como foco a inteligência artificial e o desempenho gráfico. Os novos Intel Core entregam uma série de recursos e capacidades, como a compatibilidade com o Deep Learning Boost, um conjunto de instruções dedicadas que acelera as redes neurais na CPU, e o Gaussian & Neural Accelerator (GNA), que oferece um mecanismo dedicado para cargas de trabalho em segundo plano.

Sobre os gráficos, os Ice Lake vão contar com o novo chip integrado Iris Plus, com desempenho bastante superior ao antigo UHD Graphics, prometendo correr jogos atuais como Battlefield V e Fortnite em 1080p e com boas taxas de frames, além de permitir transmissão e edição de vídeos em 4K sem gargalos.

Linha Comet Lake

Já a linha dos Comet Lake regista maior dedicação à performance, ou seja, alto desempenho para realização de atividades profissionais, ou para o que a Intel chama de “computação intensiva”. Na questão dos gráficos, a linha Comet Lake continuará utilizando o antigo chip integrado UHD Graphics.

A linha Comet Lake subdivide-se ainda em dois grupos diferentes.

A série Y, tradicionalmente utilizada pela Intel para processadores com performance e consumos mais baixos. Esta série deve aparecer nos computadores de alta gama e em aparelhos cujo design, espessura e portabilidade são cruciais.

A série U dos Comet Lake será mais comum em portáteis de gama média e em produtos com uma objetividade de maior versatilidade. Essa diferenciação também acontece nos chips Ice Lake, mas as letras “Y” e “U” não aparecem no nome dos modelos.

Outro ponto de atenção é a frequência com que os processadores trabalham. Em geral, os Comet Lake atingem velocidades maiores do que os Ice Lake. Dito isto, dada a forma como os chips atuam, isso não significa necessariamente que as CPU’s com maiores taxas de frequência sejam mais rápidas. Com o uso mais eficiente de energia e o suporte a tecnologias mais avançadas, os processadores de 10 nanómetros podem ser mais rápidos, mesmo trabalhando em clocks inferiores.

 

Iris Plus Graphics

Os clássicos chip’s gráficos integrados UHD Graphics serão substituídos pelo Intel Iris Plus Graphics, que antigamente era utilizado apenas em processadores de uso profissional. Para se ter uma ideia das possibilidades de performance desse novo chip de gráficos integrados, jogos como CS:GO, Rocket League, Batlefield V ou Fortnite rodam a 70 FPS em 1080p.

Em termos técnicos, temos frequências que vão até 1.1 GHz e mais 2.25 Teraflops (TFLOPS). Dessa maneira, podemos usar monitores de 5K a 60 FPS e 4K a 120 FPS por meio das saídas DisplayPort 1.4 e BT.2020.

Para quem trabalha com edição de vídeo, o Iris Plus promete codificar vídeos em programas como Adobe Premiere e Cyberlynk PowerDirector em 4K a 60 FPS e 8K a 30 FPS em tempo real.

 

Inteligência artificial

Outro destaque importante dado pela Intel na 10ª geração é a inteligência artificial, sendo os primeiros processadores desenvolvidos especialmente para uso de tecnologia de inteligência artificial. Isso significa que o utilizador terá a possibilidade de trabalhar com múltiplas tarefas com mais velocidade e estabilidade.

Estes processos são garantidos com uma série de recursos e capacidades, incluindo:

– Intel Deep Learning Boost, um novo conjunto de instruções dedicadas que acelera as redes neurais na CPU para obter a máxima capacidade de resposta em cenários como aprimoramentos automáticos de imagens, indexação de fotos e efeitos fotorrealistas.

– Até 1 teraflop de computação do mecanismo de GPU para aplicações de inferência sustentadas de alto throughput, como estilização de vídeo, análise e upscaling de resolução de vídeo em tempo real.

– Intel Gaussian & Neural Accelerator (GNA), que fornece um mecanismo dedicado para tarefas em segundo plano, como processamento de voz e supressão de ruído em consumo ultrabaixo para uma máxima duração da bateria.

As potencialidades da IA incluída nos processadores Intel da 10ª geração têm ainda algumas potencialidades desconhecidas, até porque é uma tecnologia recente com poucos softwares desenvolvidos para explorar esta nova ferramenta.

 

Thunderbolt 3 e Wi-Fi 6

A 10ª geração deste processador incorpora a combinação inédita do Thunderbolt 3 — que permite taxas de transferência de dados de até 40 Gb/s (gigabits por segundo) — com o Intel Wi-Fi 6 integrado (Gig +) — que permite velocidades sem fio quase 3 vezes mais rápidas. Estas são duas características que a Intel fez questão de destacar.

// RPT

DEIXE UMA RESPOSTA

Envie o seu comentário
Indique por favor o seu nome